Por que um Plano de Emergência em uma Instituição de Ensino?

No Brasil há um balanço divulgado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça, que ressalta que ocorrem anualmente mais de 267.000 incêndios, resultando em 700 ocorrências diárias em todo território nacional, levando a fatalidade cerca de 1.000 pessoas por ano.(Brasil, 2014). Compararmos com o EUA que em 2005 teve 1,6 milhões de ocorrências de incêndios registradas com 3.677 vítimas fatais, o indicador brasileiro de taxa de mortalidade é maior (Seito,.et al.2008). Note o gráfico 01 que está relacionando o número de ocorrência por vítimas fatais entre os dois países.

Gráfico 01 - Brasil e EUA Vítimas Fatais x Ocorrências de Incêndios

No gráfico 02 está relacionando a ocorrência de incêndios registrados com sua taxa de mortalidade. Mesmo o EUA tendo um enorme número de incêndios por ano sua taxa de mortalidade é comprovadamente menor que a do Brasil, mostrando assim sua eficiência no combate nesse tipo de sinistro.

Gráfico 02 - Brasil e EUA Taxa de Mortalidade x Ocorrências.

Quando há incêndios em edificações a principal causa das fatalidades é inalação de fumaças que ocorre no primeiro momento do sinistro, logo abaixo está o quadro 01 relacionando alguns países e causas de mortalidade em decorrência de incêndios em edificações (Silva, 2014).

Quadro 01

Observe o quadro 01, há a relação de mortes por fumaça e calor de 5 países, relacionando a fumaça e calor como principais motivos de mortalidades em casos de incêndios. Ainda observando o quadro 01, fica fácil concluir que a segurança a vida está diretamente ligado a um rápido abandono do ambiente que está em chamas, contando com um plano de fuga e um projeto adequado das edificações, sendo o primeiro agente em campo prevenindo fatalidades. Observe outra referência que vem de encontro com o quadro 01.

Do total de vítimas fatais em um incêndio, cerca de 51% vêm a falecer em razão da inalação de fumaça, 23% falecem em decorrência de inalação de fumaça e queimaduras, perfazendo assim 74% das fatalidades de um incêndio em decorrência da fumaça, enquanto cerca de 24% vêm a óbito exclusivamente em razão de queimaduras e 2% por outros motivos (Brasil, 2014, p.9 )

Note no gráfico 03, ocorrências de incêndios em prédios educacionais no Brasil nos últimos anos.Está havendo uma média de 90 ocorrências por ano, em 2015 chegou a 120 ocorrências.

Gráfico - 03 Incêndios em Prédios Educacionais no Brasil

O plano de emergência, pode ajudar em outros casos de emergências além de incêndios, em Mariana temos o exemplo da diretora que deu ordem de abandono em sua escola salvando 48 crianças após o rompimento de uma barragem de rejeitos de uma mineradora.

“Ela, então, passou de sala em sala gritando para todo mundo deixar a escola o mais rápido possível e procurar um local alto para se esconder.” Disponível em:<http://noticias.r7.com/minas-gerais/diretora-de-escola-age-rapido-e-salva-48-criancas-de-tsunami-de-lama-08112015 >. Acesso em: 24 de março 2016.

É louvável a atitude da diretora diretora, por ter tomado a atitude correta, com o recurso que havia nas mãos naquele momento. Mas por outro lado revela um despreparo da sua escola para esse tipo de situação. Se houvesse um pouco de preparo e ensaios para abandono de edificações a ordem de abandono seria feito com maior naturalidade. Ao toque de uma sirene ou sinal de apito, todos os alunos se deslocariam em um local pré-determinado, (ponto de encontro), lá seriam passadas as informações a todos os alunos de uma vez só, havendo um abandono de área ordenado. Será que o que aconteceu é um fato isolado no Brasil?Parece que não! Os desastres naturais estão mais presentes na vida dos brasileiros do que se imagina, note a citação.

Um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) constatou que 40,9% dos municípios brasileiros sofreram, nos últimos cinco anos, pelo menos um desastre natural. Foram 2.276 cidades atingidas por inundações graduais, enxurradas bruscas e/ou deslizamentos de encostas entre 2008 a 2013. Disponível em: <http://www.ufrgs.br/grid/noticias/ibge-desastres-naturais-atingiram-40-9-dos-municipios-do-pais-nos-ultimos-anos >. Acesso em: 24 de março 2016.

As intromissões humanas no meio ambiente têm motivado sérios efeitos para a população. Frequentemente sabemos de desastres naturais em todo mundo. No Brasil desastres naturais de grande intensidade ainda estão incidindo pouco, mas com a influência climática vem se registrando ocorrência como grandes enchentes, que provocam grandes, deslizamento de encostas, inundações de cidades, proporcionando perdas matérias e humanas. Esse panorama com a falta de cultura prevencionista e falta de planejamentos urbanos, no caso da barragem Mariana (MG) poderão estar potencializando prejuízos humanos e financeiros incalculáveis.

Cada habitante tem que estar preparado para entrar em ação diante de tais ocorrências. Ponderando que os adultos só criam hábitos preventivos após ter intimidade com a situação de perigo ou por força de lei relacionada, sugere-se por trabalhar em ambiente escolar onde se espera semear os conhecimentos prevencionistas, promovendo mudanças de comportamentos, já que os jovens são mais maleáveis a novos conhecimentos e serão agentes multiplicadores de um novo comportamento. Baumel e Hiller,(2013).

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square